Na noite de Santo António a sardinha é a Rainha!


Lisboa era uma cidade de pescadores e varinas (mulheres que vendiam peixe fresco em canastras que transportavam à cabeça). O fado está cheio de poemas alusivos a essas personagens típicas da antiga cidade ribeirinha.

Varinas

Na noite de Santo António toda a gente lambe os dedos na rua ou no quintal, deliciando-se com uma sardinha que se come em cima de uma fatia de pão regional. A Rainha da noite é acompanhada com um jarro de sangria ou de vinho tinto. O famoso caldo verde onde navega uma rodela de chouriço reforça a refeição. E no final um arrroz doce não calha nada mal.

Sopa, sardinha com pão, sangria

As sardinhas, nas festas populares de Lisboa que decorrem durante todo o mês de Junho e se alargam mesmo a todo o Verão na verdade deixaram mesmo de ser peixes, são símbolos da fertilidade, ícones das festas dos bairros populares de Lisboa e entram até em concursos artísticos promovidos nesta ocasião no âmbito da organização das Festas da cidade.

Posted on June 13, 2014 and filed under history, folklore.