A sopa da pedra


Tal como a ideia de Deus é geral e não conhece fronteira, ou país, ou tal como a ideia de não matar é princípio comum a todas as religiões, um princípio  vital que preserva  a defesa da espécie, assim também nos contos tradicionais há estruturas comuns que se repetem, como várias recriações do mito de Rei Édipo, Antígona ou outro. A estrutura do conto tradicional sobre a fome baseia-se na seguinte trama: um personagem tem fome, pede comida a um egoísta ou avaro que nada quer dar. Então o inteligente do pobre engendra uma estratégia para levar o avaro a dar-lhe o alimento. Este conto existe nos mais variadas culturas alimentado por estratégias diferentes.

Conta-se em Portugal que um dia passou em Almeirim um pobre homem com fome que ao ver uma velhota a varrer o quintal lhe pediu de comer. A velhota nada lhe deu, desconfiada e avara. Então o mendigo seduziu-a dizendo-lhe que poderia fazer uma sopa de pedra. Ela quase morreu de curiosidade e foi-lhe dando todos os ingredientes que ele pedia para a confecção da sopa. Fez fogo no chão com as folhas secas do quintal e pediu uma panela onde pôs a pedra ao lume, pediu água, pediu tomate, cebola, azeite, sal  e sei lá que mais e no fim a sopa ficou deliciosa e os dois se puseram a comê-la com todo o prazer.

Em Almeirim todos os restaurantes típicos servem esta sopa e dentro do tacho vem mesmo uma pedra, a mesma pedra que serviu para o mendigo levar a velhota a dar-lhe o que ele queria.

Essa pedra é também geral e mítica e alimenta o conto da sopa da pedra.

Já ouvi contos tradicionais variantes  deste a pessoas dos mais variados países. A fome, a ideia de Deus, o tópico do recém-nascido abandonado, o tema da procura da identidade, a inveja e o sucesso povoam o imaginário do homem nas mais variadas culturas ou regiões do mundo.

Receita da sopa da pedra.
Numa panela grande deite água e deixe ferver com uma pedra lá dentro. Deite feijão e deixe cozer. Deite tomate, cebola, batata, azeite, sal. Esta sopa deve ser enriquecida com pequenos pedaços de carne e enchidos. Como-se acompanhada de um pão pequeno e redondo com o nome de “caralhota”.

E porque gastronomia também é cultura vá a Almeirim saborear esta deliciosa sopa!

Posted on September 29, 2014 .