Cafezinho português

Tomar um café é um acto social neste país. Em casa não é a mesma coisa. Precisamos dos outros cidadãos para o prazer do café estar completo. Por isso se multiplicam os cafezinhos em todos os cantos e recantos, esquinas e becos.
De tal forma o café faz parte da realidade portuguesa que antigamente dizia-se “tomar o café” em vez de tomar o pequeno almoço num registo popular e até as crianças das famílias mais pobres comiam de manhã "sopas de café” que consistia numa tigela cheia de pão e café, pois nessas casas escasseava o leite.

Hoje no contexto urbano ou na aldeia o requinte é o empregado já saber como goatamos do café: cheio, pingado, en chávena fria, em chávena escaldada, curto, com adoçante, com açúcar, acompanhado de copo de água ou na versão italiana, abatanado, carioca, garoto, meia de leite e galão nas versões escuro ou claro! Tal como no islandês há duzentas palavras para neve em português existem todas estas variações, faltando ainda mencionar que bica e café são uma e a mesma coisa! Uf, vai um cafezinho! Pode tomar-se a qualquer hora do dia ou da noite e há pessoas a quem a cafeína não tira o sono. Mas uma coisa é certa: a trabalhar é que ninguém começa sem ter tomado o seu cafezinho!

Posted on August 30, 2015 .