Blog posts

21st of March: The World Day of Poetry

21st of March: The World Day of Poetry

Arts, Culture, Learning Languages, Learning Portuguese, Sem categoria

Today, 21st of March is the World Day of Poetry. Therefore, our language school in Lisbon, decided to organize a challenge within our students. They were free to create a poem on their own, obviously in Portuguese!

Here are some of them…

VIAJAR

Viajar é uma coisa importante.

É a melhor maneira de desenvolver,

a tolerância,

e a imaginação.

Vai descobrir culturas,

Vai fazer amigos

Vai procurar o que tu gostas.

É tempo de partir!

Jean-Vincent Jemelen

 

 

A LIBERDADE

Não há nada para pensar,

apenas sentir.

A brisa do mar brinca com o meu cabelo,

os raios de sol tocam a minha pele.

 

O vento sopra,

muito forte,

como numa tempestade,

leva-me pelo ar,

muito alto.

 

Estou voando,

muito leve,

com as aves,

que me tratam como família,

que cuidam de mim.

 

A minha alma voa livre no ar,

conversando com o mundo

com o sorriso,

que é a linguagem mais bela

do mundo.

Sabrina Būdicker

 

 ALEGRIA

Existes. Não existes.

Não sei. Só penso em ti como se estivesses na minha vida há muito tempo. Ou já estás.

 

Não sei.

Vejo-te no café quando tomas uma bica de manhã.

Também me vendias peixe no Mercado da Ribeira.

Nas ruas de Lisboa, Porto e outras cidades.

Estás em toda a parte; mas, porque não queres estar dentro de mim?

Ou já estás mas sou eu que não quero viver contigo?

 

Alegria.

Já tenho a certeza que existes.

O teu nome faz-me sorrir como o sol depois da chuva.

Brilhas na escuridão. Apagas as preocupações das almas.

 

Existes?

Já sei. Espero que tu também.

Jakub Ostrowski

 

OS ELEMENTOS

 

Se eu tivesse de escolher,

escolheria azul acima de tudo e

escolherei sempre.

 

Porque o azul é vida e azul é viver

e azul é tudo o que está entre.

Eu escolheria a água sempre.

Natalie Hess

 

 

DIA DA POESIA

Hoje vai ser um bom dia

Pois é o dia da poesia,

Celebramos em Lisboa

A bela língua de Pessoa.

Nós aprendemos com a Dora

A gramática que ela adora.

Clara Maciulis

 

ALMOÇO NO CAFÉ FÁBULAS

Homenagem à Virgínia Wolf

 

Vocês vieram. Cinco mulheres.

 

Criaram brisas enquanto andavam, de uma sala para a outra,

tocando aqui e ali, de mesa em mesa. Olhando e procurando.

 

Este canto é escuro. Vamos encontrar um sítio com janelas.

 

As luzes dos candeeiros tremiam e as sombras faziam caretas nas paredes de pedra amarela. Os perfumes estrangeiros invadiram todos os cantos das salas. Cadeiras mexeram-se e cantaram com as solas de borracha tocando suavemente os pisos de pedra. Alguns copos de champanhe soaram. Não, era o anel de alguém que tocou as costas das cadeiras de maderia.

 

Mas é ruidoso ali.

Sim, precisamos de um lugar calmo.

 

Estávamos a olhar um para o outro, em fotografias antigas. Sim. Todos nós conhecemos o jogo de procurar. Procurar um lugar para se estabelecer. Também sabíamos que não devíamos levar o jogo a sério, mas todos jogámos a sério, como se o lugar fosse de grande grande importância, como se estivéssemos a procurar o destino final.

 

No meio de uma sala, uma lâmpada reflectia luz fraca em seus rostos. Rostos belamente pintados. Todas vocês pareciam excepcionalmente jovens hoje, cheias de energia e bom humor.

 

O que vocês acham deste? Há uma linda luz aqui.

Sim. Precisamos de luz. Não é?

 

Finalmente encontraram e pareceram estar satisfeitas.

Todas vocês se estabeleceram, de alguma maneira. Começaram uma conversa. Uma de vocês falou sobre Charlie Chaplin. O tempo (congelou) parou. Outra falou sobre Buster Keaton e disse que a fazia rir ainda mais. Vocês todas riram. E nós rimos convosco, secretamente, porque não vos queríamos incomodar.

 

De repente, um pombo branco voou para dentro do café. Começou a andar por toda a parte, parecendo mais perdido do que procurando algo. Todas vocês fitaram o novo visitante, em silêncio.

 

Não temos asas, mas entendemos o que significa estar cansado – disse uma de vocês.

E eu sorri para ti, apenas por um breve momento, sem querer assustar-te.

Vai Keng

 

 

About the author

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *